Procurar
Close this search box.
BYD Dolphin Mini (Foto: Reprodução)
BYD Dolphin Mini (Foto: Reprodução)

Saiba mais!

Conheça os 5 pontos fracos do BYD Dolphin Mini

Carro elétrico pode apresentar algumas falhas

Com a promessa de ser um carro elétrico acessível, o BYD Dolphin Mini finalmente chegou ao mercado brasileiro. Durante o lançamento, a marca chinesa anunciou que já comercializou 6.170 unidades do modelo desde o último domingo (25), quando começou a pré-venda. Até dezembro, a empresa pretende emplacar 30 mil exemplares, demonstrando a receptividade positiva dos consumidores locais em relação à tecnologia elétrica e à proposta do veículo.

Embora toda a propaganda em cima do modelo seja tentadora, o BYD Dolphin Mini apresenta alguns pontos fracos que podem influenciar determinados compradores. Além disso, questões relacionadas à disponibilidade de peças de reposição, que têm afetado outros modelos da marca, também merecem atenção.

Confira a lista de itens que podem decepcionar:

Preço

  • Expectativas de preço elevadas: Antes do lançamento, o BYD Dolphin Mini gerou grande expectativa devido às especulações sobre seus preços. A BYD alimentou essas expectativas ao sugerir que o valor de compra ficaria abaixo dos R$100 mil.
  • Valor de lançamento acima das expectativas: Contrariando as especulações, o modelo foi lançado por R$115.800, um preço que se situa na média para carros elétricos compactos.
  • Comparação de preços: Em comparação com outros modelos do mesmo segmento, o Renault Kwid E-Tech é o mais acessível, custando atualmente R$99.990. O Caoa Chery iCar é vendido por R$119.990, enquanto o JAC E-JS1 tem preço de R$126.900.

Sem limpador traseiro

  • Equipamentos luxuosos inclusos:
    • Carregador de celular por indução
    • Banco do motorista elétrico
  • Itens ausentes surpreendentes:
    • Banco traseiro bipartido
    • Limpador do vidro vigia

Sem estepe

  • Abolição do estepe em mercados europeus e japoneses:
    • Em alguns mercados como o europeu e japonês, a abolição do estepe não é uma novidade.
    • Veículos nesses mercados adotam um kit de reparo, composto por compressor de ar e material aderente.
  • Limitações do kit de reparo:
    • O kit de reparo é eficaz em países onde os danos são geralmente limitados a furos provocados por objetos perfurantes, como pregos.
  • Desafios no Brasil:
    • No Brasil, o kit de reparo é insuficiente em situações onde o pneu é rasgado em impactos contra buracos, o que é comum devido às condições precárias das vias.
  • Retorno do estepe:
    • Fabricantes como a BMW, que haviam abolido o estepe no passado, voltaram atrás e passaram a oferecê-lo novamente no Brasil e em outros países com vias precárias.

Reposição de pneus dificultada

  • Falta de estepe e pneus específicos:
    • A falta de um estepe no BYD Dolphin Mini torna-se ainda mais problemática devido às medidas extremamente particulares dos pneus do veículo.
    • O modelo é o único no mercado brasileiro a adotar pneus com medida 175/55 R16.
  • Limitações de fornecimento:
    • Como consequência, há apenas um fornecedor desses pneus, a empresa chinesa LingLong.
    • Se um dos pneus “estourar” em um buraco, o proprietário pode enfrentar dificuldades, incluindo a necessidade de chamar um reboque para guinchar o carro elétrico.
  • Disponibilidade e custo:
    • Mesmo que nenhum incidente ocorra, a falta de alternativas pode dificultar e encarecer a troca dos pneus por desgaste natural.
  • Desafios para o proprietário:
    • A falta de estoque na concessionária mais próxima pode deixar o carro encostado por alguns dias, causando transtornos adicionais ao proprietário.

Poucos lugares e porta-malas pequeno


Dimensões compactas do BYD Dolphin Mini:

  • O BYD Dolphin Mini é conhecido por suas dimensões compactas, mas isso não justifica a limitação a quatro ocupantes a bordo e um porta-malas de apenas 230 litros.
  • O modelo possui 3,73m de comprimento e 2,5m de distância entre eixos.

Comparação com modelos nacionais:

  • O BYD Dolphin Mini é consideravelmente maior que modelos nacionais como o Fiat Mobi, que possui 3,57m de comprimento e 2,31m de entre-eixos, e o Renault Kwid, com 3,68m de comprimento e 2,42m de entre-eixos.
  • Ambos os subcompactos acomodam três ocupantes e possuem porta-malas mais generosos: 235 litros no Mobi e 290 litros no Kwid.

Promessa de uma versão de cinco lugares:

  • A BYD promete lançar uma versão de cinco lugares do Dolphin Mini ainda neste ano, o que pode ajudar a resolver a limitação de ocupantes e a capacidade do porta-malas.

Fonte: VRUM

Mais lidas

plugins premium WordPress