Agronegócio impacta economia fluminense (Foto: Pixabay)
Agronegócio impacta economia fluminense (Foto: Pixabay)

Entenda!

Agronegócio é responsável pelo aumento do PIB no Rio de Janeiro

Setor corresponde a 1% do PIB do estado

No Rio, o setor do agronegócio ostenta sua reputação como um campo altamente competitivo, impulsionando a criação de empregos, a geração de riqueza e o fornecimento de alimentos, fibras e bioenergia não apenas para o Brasil, mas também para outras nações.

Em ascensão no Estado, essa atividade figura com destaque no sustento da economia do interior fluminense. Conforme indicam os dados mais recentes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços, o Produto Interno Bruto (PIB) vinculado ao agronegócio representa 1% do PIB total do Rio de Janeiro, traduzindo-se em R$ 9,493 bilhões, dentro do colossal PIB estadual de R$ 949,3 bilhões.

A agricultura é fundamental para produzir alimentos, com os agricultores desempenhando um papel vital. O agronegócio, previsto para gerar R$ 2,62 trilhões em 2023, corresponderá a 24,1% do PIB brasileiro, segundo o Cepea e a CNA.

No cenário agrícola do Estado do Rio de Janeiro, a diversidade é uma marca distintiva. Os produtos cultivados variam conforme as condições climáticas, os tipos de solo e outras características únicas. Confira os que se destacam:

  • Cana-de-Açúcar;
  • Hortaliças e vegetais:
    • Tomate
    • Alface
    • Cenoura
    • Cebola
    • Couve, etc.
  • Frutas:
    • Abacaxi
    • Banana
    • Maracujá
    • Manga
    • Goiaba
  • Café;
  • Flores e plantas ornamentais;
  • Leite e queijo;
  • Pescado;
  • Olericultura:
    • Pepino
    • Pimentão
    • Abobrinha.

Em 2022, segundo o relatório anual da Emater-Rio, o faturamento bruto das atividades agropecuárias no Estado do Rio de Janeiro totalizou R$ 6.622.383.453,94. As principais atividades foram a bovinocultura (29,6%), olericultura (24,6%), pequenos e médios animais (13,1%), outras culturas (11,5%) e fruticultura (8,8%).

A cafeicultura se destacou, registrando um aumento de 129% no faturamento bruto dos produtores em comparação a 2021, atingindo R$ 346.623.611,50 e se tornando a segunda cultura com maior área cultivada no estado. Os dados de 2023 ainda não foram divulgados.

Fonte: O Dia

plugins premium WordPress